As aranhas do gênero Loxosceles são conhecidas geralmente como aranha-marrom no Brasil, araña de rincón, aranã de de los cuadros em países como Chile e Argentina e ainda brown spider ou brown recluse spider nos Estados Unidos. Essas aranhas, como outras tantas que se adaptaram bem a viver em ambientes modificados pelo homem, seriam desconhecidas da maioria da população não fosse pelo fato de seu veneno ser capaz, mesmo nas quantidades extremamente pequenas em que é injetado no corpo das pessoas, de causar problemas de saúde de intensidade leve a grave, podendo inclusive em poucos casos levar à morte.
Fotos e informações sobre Loxosceles intermedia.


FATOS IMPORTANTES SOBRE A BIOLOGIA DE Loxosceles.

-    Estão entre as aranhas mais longevas da subordem Araneomorphae (Galiano 1967).  Aranhas de tamanho corporal próximo ao das aranhas-marrons vivem em geral apenas um ano, mas as Loxosceles podem passar de 5 anos!

-    Apresentam a menor taxa de perda de água registrada entre as aranhas (Eskafi et al. 1977). A maioria das aranhas podem passar meses sem alimento, mas são bem menos resistentes a falta de água.  Algumas espécies de Loxosceles podem ficar mais de um ano sem água e sem alimento.

-   As aranhas em geral têm o sexo geneticamente determinado, mas antes da maturidade sexual é difícil distinguir entre machos e fêmeas.


DETALHES DA BIOLOGIA DA Loxosceles intermedia, a espécie de aranha-marrom mais abundante no Paraná.     Os dados a seguir foram coligidos dos estudos da Bióloga Marta L. Fischer.
-   Tempo de incubação do ovos: 50 dias
-   Número médio de ovos por ooteca: 53 (até 110 foram encontrados)
-   Fertilidade dos ovos: 70%
-  Tempo desde a oviposição até a maturidade: 269 a 504 dias
-  Machos e fêmeas amadurecem aproximadamente no mesmo tempo
-  Machos: de 6 a 8 mudas até maturidade sexual
-  Fêmeas: de 5 a 8 mudas até maturidade sexual.
-  A razão sexual é de aproximadamente 1:1, ou seja, 50% de machos e 50% de fêmeas
-  Em geral os machos tem pernas mais longas e peso menor, comparados às  fêmeas
-  O desenvolvimento das aranha depende do tipo de presas ingeridas (dieta), da quantidade de presas ingeridas e da temperatura ambiental
- A longevidade média das fêmeas é de 1176 dias (mais de 3 anos), mas existem registros de fêmeas que viveram mais de 6 anos em laboratório
- A longevidade média dos machos é de 557 dias (próximo de um ano e meio), mas existem registros de machos que viveram mais de 2 anos em laboratório
- A Loxosceles intemedia não tolera temperaturas muito altas (mortalidade inicia a 40 °C para aumento de temperatura gradual)
- A Loxosceles intermedia resiste a baixas temperaturas (até -5 °C)

RELAÇÃO ENTRE A A BIOLOGIA DE Loxosceles intermedia E ACIDENTES LOXOSCÉLICOS

A Loxosceles intermedia caracteriza-se como uma ótima colonizadora de residências humanas: ocorre a reprodução durante o ano todo, tem grande longevidade, facilidade de ocorrer cópula dado o encontro de machos e fêmeas, não tem aparentemente predadores especializados em caça-las. Essas aranhas ocorrem em baixas densidades em ambientes naturais, mas se adaptaram muito bem as construções feitas pelo homem.  Podem permanecer longos períodos sem  alimento, e podem até mesmo ingerir outros insetos ou aranhas mortos, ocasionalmente. No entanto, uma característica que influencia diretamente a chance de ocorrência de acidentes é sua intensa locomoção. Em meu Doutorado pela USP-SP, pude perceber a maior locomoção em laboratório de Loxosceles intermedia, comparada a outras espécies de Loxosceles (L. laeta e L. gaucho). Esse fato foi confirmado em estudos posteriores (casa do CPPI) e em muitas horas de trabalho de campo. Como se locomove mais, principalmente em dias mais quentes e sob baixa intensidade luminosa, a Loxosceles intermedia tem muito mais chances de contato com o ser humano. E também podem reinfestar facilmente casas onde foi realizado o controle, bem como colonizar construções  novas.

 
O acesso ao material desse site é livre, mas lembre-se de citar a fonte de consulta!
  Site Map